Martius e a Música

 

            O seu amor pela música já foi despertado desde criança na casa dos pais e já era tido por músicos experientes como um ouvinte muito crítico. Martius ainda colecionava violinos antigos e se interessava por Luteria[1]. Ele foi amigo do compositor Ignaz Lachner que em 1851 dedicou-lhe um trio para piano viola e violino, o qual ele tocou com muita dedicação. Segue abaixo a nota que consta no livroBrasilianische Reise 1817-1820: Carl Friedrich Philipp von Martius zum 200. Geburtstag” na página 171 sobre o seu violino trazido por ele durante a expedição e sua musicalidade. No catalogo falta a foto do violino.

 

Violino

Leonhard Maussiell, Nürnberg 1718, Caixa de cravelhas com cabeça de Leão, verniz vermelho\marron, tamanho: 58,7 cm.

Museu nacional germânico de Nurnberg, emprestado por Klaus e Wolf Peter Martius. Este violino, em posse da família Martius desde 1794, foi levado por C.F.Ph. von Martius em sua viagem ao Brasil. Martius era um ótimo violinista, colecionava violinos e se interessava também por luteria. No Brasil ele também tocou para os índios: “O meu violino não causou qualquer efeito especial sobre eles e ainda os agradava mais através de arpejos barulhentos ou tempos longos e monótonos de estrofes rítmicas, até que eles finalmente estalavam com a língua e moviam os membros como que automáticos”.[2] (Helbig 1994) 

[1] Profissão que cuida da construção de instrumentos musicais.

[2]  HELBIG, Jörg. Et al. Brasilianische Reise 1817-1820: Carl Friedrich Philipp von Martius zum 200. Geburtstag. 171 p.